sábado, 23 de maio de 2009

DUCANDO FILHOS A MANEIRA DE DEUS CURSOS UDF


Com duração de 16 semanas, apresenta instruções para os pais com relação aos filhos. Através do ensino de princípios bíblicos, os pais são levados a uma fascinante jornada que os ajudará a educar seus filhos, desenvolvendo com eles um relacionamento de amor e confiança.

Objetivos:
Incutir nos pais os princípios infalíveis da Palavra de Deus, encorajando-os a trabalhar não somente no comportamento externo dos filhos, mas, sobretudo, nas atitudes do coração. Desafiar os pais a desenvolverem um relacionamento de confiança com os filhos, ajudando-os a olharem com otimismo os anos da adolescência. Estabelecer a visão bíblica da paternidade, para que os pais possam conquistar a mente e o coração de seus filhos.

Conteúdo: 1. Os fundamentos de Educação de Filhos à Maneira de Deus: Está baseado no princípio de que a educação de filhos é uma responsabilidade dada aos pais por Deus. O dever, a esperança e o alvo dos pais cristãos são educar filhos que sejam moralmente responsáveis, que recebam a salvação em Jesus Cristo e cujas vidas sejam governadas pelos preceitos de Cristo, refletindo assim, o Seu amor.

2. Como criar uma criança moral: Ajudar os pais a educarem seus filhos na disciplina e admoestação do Senhor (Efésios 6:4). Educar filhos que tenham a capacidade moral de discernir o certo do errado, o bem do mal e que sejam guiados pelos preceitos bíblicos em seus corações. Providenciando o porquê moral e prático. Entendendo o contexto e o legalismo.

3. Começando certo: Há dois erros que ameaçam a paternidade bem sucedida. O primeiro é não entender o papel do relacionamento marido – esposa no processo de paternidade e o segundo é a queda na armadilha da paternidade centralizada nos filhos. Princípios para guiar a sua família. Alcançando o equilíbrio e suprindo as necessidades.

4. Como dizer "eu te amo": O amor é expresso através de linguagens emocionais. Uma linguagem de amor é a capacidade de expressar amor por uma outra pessoa numa linguagem emocional principal da outra pessoa. As cinco linguagens de amor. Identificando a sua linguagem principal. Aprendendo a linguagem de amor de seus filhos.

5. O mandato do pai: Todos os relacionamentos dependem de confiança, especialmente os relacionamentos familiares. Um relacionamento marido – esposa é construído na confiança mútua, como é o relacionamento com nossos filhos. As oito responsabilidades na arte de ser pai.

6. A consciência de seu filho: A consciência moral é a porção ensinável da consciência do homem. Os pais precisam entender que é fácil enfraquecer a consciência ou treiná-la erradamente. Os pais não somente devem ensinar a verdade aos seus filhos, mas também ensiná-la de forma correta. Estabelecendo o almoxarifado moral. As quatro atividades da consciência.

7. O respeito pelas autoridades e pais: A qualidade de seu caráter e a de seus filhos é mais bem exemplificada pela presença ou ausência de três atributos: respeito, honra e honestidade. Deus quer, que respeitemos a autoridade e que treinemos nossos filhos a fazerem o mesmo. Os pais como governadores.

8. O respeito pelos mais velhos e companheiros: Ensinar seus filhos a honrar e respeitar os mais velhos é ensiná-los a honrar a Deus. A regra da interrupção. Ensinando o respeito pelos colegas e irmãos.

9. Princípios de obediência: A alegria dos relacionamentos pai – filho e irmão – irmão depende da qualidade da virtude moral de cada filho. Como deve um pai governar a fim de obter um comportamento correto de seu filho? Por outro lado, pais ameaçadores e pais chantagistas podem estragar seus filhos.

10. Disciplina com encorajamento: A disciplina é um processo de treinamento e aprendizagem que favorece o desenvolvimento moral. A disciplina precisa ser pensada como algo a ser trabalhada em longo prazo e não apenas nas necessidades do momento. Como incentivar os filhos a fazer o que é correto?

11. Disciplina com correção: O lado da correção requer que os pais considerem a motivação envolvida em todas as ações da criança. Quando devemos corrigir os filhos e, como isso deve ser feito?

12. As conseqüências e a punição: Como corrigir uma criança que insiste em desobedecer aos pais. Qual a diferença entre o uso cultural da vara e a correção bíblica? Os pais que amam corrigem. O que fazer depois da correção? Porque a correção às vezes falha?

13. Arrependimento, perdão e restauração: No processo da educação de filhos, o arrependimento é um componente essencial da correção. Mas o que isso significa? Como é medido? Testando os atos de arrependimento.

14. Questões de disciplina: Na tentativa de serem bondosos aos filhos, muitos pais inconscientemente favorecem o conflito, dando a eles, liberdade que não são apropriadas à idade. Em que resultam essas liberdades? Elas originam uma criança que é “sábia aos próprios olhos”. Estabelecendo limites.

15. Construindo uma família saudável: Os anos da adolescência podem ser gratificantes, cheios de harmonia e crescimento contínuo. O que os pais devem fazer para permitir que a amizade seja tudo o que deveria ser?

“...criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor” (Efésios 6.4b).

Um comentário:

Ligiane Farias Bastos Barbosa disse...

Graça e paz amado! Gostaria de agradecer o privilégio de ter você como seguidor. Saiba que amo seu blog, pois tem textos muito edificantes, e estarei sempre por aqui dando uma espiadinha nas novidades. Um grande abraço, na paz de Cristo.
www.normalaoextremo.blogspot.com